sábado, 18 de fevereiro de 2017

Lazarim - Lamego

Com a proximidade do carnaval, quisemos conhecer um local onde as tradições desta época perdurassem ao longo dos tempos. Por este motivo decidimo-nos por Lazarim, aldeia conhecida pelo seu carnaval genuíno, onde “Caretos” e “Senhorinhas” desfilam pelas ruas, envergando trajes típicos e máscaras talhadas em madeira, criadas pelos artesãos da aldeia.

Como já vem sendo habito, em carteira levávamos um percurso pedestre, o PR6 – Trilho das Mascaras de Lazarim, pertencente à rede de percursos pedestres de Lamego. Iria ser o segundo percurso a efectuar neste concelho, pois já em Setembro de 2015 se tínhamos deslocado a Samodães, para fazer o PR2 - Trilho Vinho do Porto.

Com facilidade encontrámos o placard de inicio do percurso, mesmo no centro da aldeia junto ao Pelourinho e ao Centro de Saúde. Seguindo as placas de madeira, iniciámos a caminhada pelas ruas da aldeia, cheios de confiança e animação.

Percorrendo a parte comum, com o PR3 – Percurso Terras de D. Afonso, chegámos ao CIMI – Centro Interpretativo da Máscara Ibérica, lamentando o facto do mesmo se encontrar encerrado, pois aqui encontraríamos uma vasta exposição sobre os trajes e máscaras do nosso país e do país vizinho.

Continuando o percurso ao longo da ribeira, até à ponte, seguimos a placa de madeira que nos levaria a abandonar a estrada de alcatrão seguindo um trilho à direita, em direção a Mazes.

Infelizmente esta foi a última indicação do percurso que encontrámos. Seguindo a nossa intuição, caminhámos pela margem da ribeira, até ao primeiro moinho, um local muito bonito, onde a natureza ainda se encontra no seu estado mais puro. Neste local, a água da ribeira devia estar a submergir o trilho e após deambularmos um pouco em busca de um caminho alternativo tivemos receio em continuar.

Regressando à estrada principal, passámos junto à capela e percorremos um pouco da margem esquerda, usufruindo daquele bonito local, voltando depois ao núcleo habitacional, onde percorremos algumas ruas da aldeia, regressando de novo ao ponto de partida.

É sem dúvida uma aldeia muito simpática e acolhedora. 

Foi muito agradável conversar com os proprietários do café “O Cantinho”, que nos falaram do Carnaval de Lazarim e dos 2 artesãos que ainda continuam a talhar a madeira e a fazer perdurar a tradição das máscaras de Lazarim. Falaram-nos também da vida e do trabalho das vinhas. Certamente jamais esqueceremos o bocadinho bem passado, enquanto tomávamos o cafezinho, em amena cavaqueira.

Quando partimos em direção a Lamego, com destino a S. Martinho de Mouros no concelho de Resende, ficámos com a certeza que voltaríamos a esta aldeia onde iríamos terminar a caminhada que havíamos iniciado…


Mapa do Percurso